• “Promoção da Qualidade da Água das Redes Públicas”

     

     

    Esta campanha tem como objetivo promover o acesso a água de qualidade e a preços aceitáveis para todos os cidadãos. Ela passa pela melhoria da qualidade da água na rede pública. Os recursos públicos geridos pelo Estado através do Poder Central, das Autarquias Locais, de Institutos, das Empresas e de outros Serviços Públicos ou com um forte financiamento público utilizados na aquisição da água engarrafada, devem ser direcionados para a melhoria da qualidade da água na rede pública de abastecimento. Só em casos excepcionais é que os recursos públicos devem ser utilizados para aquisição de água engarrafada.

    Devido a real ou a aparente deficiente qualidade de água da rede pública, os cabo-verdianos gastam anualmente milhões de contos na aquisição de água engarrafada. Uma boa parte desse gasto é feito a custa do erário público. Isto representa uma delapidação de recursos já que a água engarrafada pode custar até mil vezes mais cara que a água da rede pública… nalguns casos muito mais caro que a gasolina!

    O negócio da água engarrafada movimenta milhões de contos anualmente, envolve interesses de gentes e instituições com muito poder de influência nas áreas política e económica de Cabo Verde, numa cadeia de interesses que se estende desde a importação do estrangeiro e a produção nacional, passando pela distribuição e a comercialização a diversos níveis.

    A utilização da água engarrafada tem impactos negativos na economia real de Cabo Verde (em particular no tesouro público e nas economias familiares), no ambiente (já que obriga a utilização de muitos milhões de garrafas de plástico que são lançados no ambiente ou nas lixeiras, provoca poluição da atmosfera (indiretamente através de consumo de energia elétrica no “fabrico”, no consumo de combustíveis fosseis no seu transporte terrestre e marítimo), na justiça social, na luta contra a pobreza e mesmo na falta de transparência da gestão dos recursos do Estado é um fator indutor de corrupção…

    A campanha insere-se no projeto “Sociedade Civil na Defesa Efetiva dos Consumidores”, implementada pela ADECO, com o co-financiamento da União Europeia.

     

    ×