Viva sem Pesticidas Químicos

Financiador: Green Action Fund (Consumers International)

Período de execução: 01 de Agosto à 31 de Outubro de 2016

Orçamento: USD 2010,71 (266.050$00 ECV)

Público-Alvo e/ ou Beneficiários: Consumidores no geral, estudantes e agricultores

Objetivos:

  • Consciencializar alunos do ensino superior e estudantes da área da saúde na ilha de São Nicolau e na ilha de São Vicente sobre os efeitos dos pesticidas químicos na agricultura e na saúde e sobre a alimentação saudável;
  • Sensibilizar os consumidores sobre os riscos à saúde causados pelo consumo de bebidas e alimentos contaminados com pesticidas;
  • Sensibilizar a comunicação social pública e privada de nível nacional e local;
  • Lobby and advocacy junto das autoridades e comerciantes;
  • Promover a conservação ambiental através da plantação árvores e colecta e exposição de bens de artesanato produzidos a partir de resíduos em uma comunidade de São Vicente, a fim de consciencializar a comunidade sobre seus impactos no meio ambiente;
  • Comemoração da Semana Verde.

Atividades:

  • Comemoração da segunda Semana Verde em Cabo Verde (plantação de árvores na zona de Ribeirinha Debaixo João Évora na ilha de São Vicente; Palestra sobre o “Impacto dos resíduos sólidos no meio ambiente”; Exposição de cartazes sobre “As 5 razões para comprar e consumir alimentos orgânicos” em locais públicos);
  • Palestra sobre “Efeitos dos pesticidas químicos na saúde do Consumidor” nas ilhas de São Vicente e São Nicolau em escolas secundárias e Universidade do Mindelo;
  • Documentário sobre “Boas Práticas Ambientais” publicado nas redes sociais;
  • Exposição sobre “As 5 razões para comprar e consumir alimentos orgânicos” nas ilhas de São Vicente, São Nicolau e Santiago em escolas primárias, secundárias e universidades;
  • Folhetos “Os efeitos dos pesticidas químicos na saúde do consumidor” distribuídos em todas as actividades realizadas no âmbito do projeto.

Resultados:

  • Consumidores, estudantes e professores mais conscientes do seu papel como influenciador da produção agrícola com o seu poder de compra;
  • Consumidores, estudantes e professores mais conscientes dos efeitos dos resíduos sólidos e pesticidas químicos no meio ambiente e na saúde;
  • Agricultores mais informados sobre as vantagens do uso dos pesticidas biológicos ao invés dos pesticidas químicos;
  • Autoridades mais conscientes da necessidade de maior monitoramento e controlo da produção agrícola, especialmente do uso de pesticidas químicos.

×